Você está aqui: Página Inicial / SECRETÁRIO DE SAÚDE PRESTA INFORMAÇÕES SOBRE VACINAÇÃO AOS VEREADORES

SECRETÁRIO DE SAÚDE PRESTA INFORMAÇÕES SOBRE VACINAÇÃO AOS VEREADORES

Márcio Vieira Machado afirmou que Leopoldina tornou-se referência regional na vacinação contra Covid-19 graças ao desempenho brilhante de todos profissionais da Secretaria de Saúde.

As ações de enfrentamento à pandemia de Covid-19 em Leopoldina foram amplamente debatidas pelos vereadores durante a reunião ordinária da Câmara Municipal, realizada no dia 06 de abril de 2021. O Secretário Municipal de Saúde, Márcio Vieira Machado, esteve participando da sessão, em conformidade com o Requerimento nº 10/2021, de autoria do vereador Edvaldo Franquido Donato do Vale (PT).

Inicialmente o Secretário foi questionado sobre algumas informações encaminhadas à Câmara em resposta a requerimentos dos vereadores. Ele comentou sobre a taxa de ocupação dos leitos de Covid-19 no Hospital e informou que a resposta à Câmara foi elaborada no dia 08 de março de 2021, tendo como referência os dados registrados no dia anterior, que apontavam a ocupação de 11 leitos na UTI. O Secretário informou que, nos dias seguintes, novas internações ocorreram e a resposta do requerimento não foi atualizada. Por isso, ele frisou que não utilizou informações incorretas, mas repassou os dados que tinha naquele momento.   

Indagado sobre a aplicação das vacinas, Márcio Vieira Machado afirmou que se trata de uma campanha sem precedentes no país, em virtude do rigor e da cobrança da população, o que vem exigindo grande dose de dedicação. Ele frisou que as vacinas são escassas e por isso vem tomando uma série de cuidados para evitar problemas, principalmente respeitando todas as normas estabelecidas pelo Estado, mesmo aquelas com as quais não concorda.  

O Secretário elogiou o trabalho desenvolvido pela Superintendente de Vigilância em Saúde, Leila Conte, e de toda a equipe da Saúde que vêm tendo um desempenho brilhante, a ponto de Leopoldina ser considerada uma referência em vacina na região da Zona da Mata. Ele citou dados que justificam o destaque do município na região: Leopoldina foi a primeira cidade a começar a vacinação, foi a primeira a vacinar os idosos acima de 90 anos, a primeira a avançar na vacinação e a atingir 10% da população. Segundo ele, para alcançar esses resultados, a equipe de vacinação tem trabalhado muito, às vezes sem horário de almoço, com uma dedicação total, inclusive nos sábados.

Márcio Machado salientou que é um trabalho difícil, complexo, mas que está sendo feito da melhor maneira possível. Disse que compreende as críticas, mas frisou que está consciente de que as normas estabelecidas pelo Governo do Estado estão sendo seguidas com rigor.

Questionado sobre a fiscalização, o Secretário reconheceu que é uma tarefa complicada, pois o quadro de funcionários não é grande e muitos fiscais colaboram trabalhando nos finais de semana. Ele confirmou que atualmente conta com 18 fiscais, sendo 8 fiscais sanitários, 4 contratados temporariamente, 2 fiscais da Secretaria da Fazenda e 2 fiscais da Secretaria de Obras. Disse que orientação é no sentido de que os profissionais sejam muito educados com a população, promovendo campanhas de conscientização, mas que permaneçam firmes no cumprimento do decreto, pois há pessoas que estão tentando burlar as normas estabelecidas pelo decreto municipal, inclusive com a realização de festas particulares.

Sobre os testes Covid-19 aplicados no município, Márcio Machado comentou que, no mundo ideal, deveria fazer o teste em todas as pessoas, independente de sintomas. Ele explicou que a realidade é muito diferente, pois os testes são caros e o município não recebe nenhum repasse nesse sentido. O Secretário confirmou que os testes são feitos no Centro Especializado de Covid, apenas nos pacientes sintomáticos que precisam passar por uma avaliação médica que indicará a necessidade do teste ou não.

Indagado sobre a notícia de que estava faltando médicos no Centro Especializado de Covid, Márcio Machado informou que dois médicos foram contratados através de processo seletivo e que um deles desistiu de assumir a função. Em virtude disso, explicou que os médicos do PSF foram convidados a fazer esse atendimento até que um novo profissional seja contratado.

A aplicação da vacina contra Covid-19 tem sido alvo de questionamentos em várias partes do país e o Secretário comentou que tem acompanhado pela imprensa as informações sobre a CPI da vacina que foi instaurada pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais que está questionando a vacinação dos funcionários das Gerências Regionais de Saúde. Ele afirmou que muitos dos profissionais das GRS pertencem à área de saúde, cujo trabalho é fundamental para os hospitais e na campanha de vacinação. O Secretário aproveitou para informar que todos os funcionários da Secretaria Municipal de Saúde foram vacinados, pois mantêm constante contato com o público. Ele comentou que, ao assumir a Secretaria de Saúde, os profissionais que estavam trabalhando de forma remota foram convocados a voltar ao trabalho presencial e que, ainda hoje, há poucos funcionários dos PSF que não retornaram às suas atividades e que por isso ainda não foram vacinados.

O Secretário foi questionado sobre a relação de funcionários da Casa de Caridade Leopoldinense que foram vacinados e explicou que a lista é de controle interno do Hospital, não sendo levado em consideração se o nome foi colocado à caneta ou não. Márcio Machado afirmou que a Secretaria de Saúde age com boa fé quando a informação é passada, pois os dados fornecidos têm credibilidade. Ele confirmou que houve muitos pedidos para vacinação dos funcionários do Hospital de vários setores, mas garantiu que foi priorizado o grupo de profissionais de enfrentamento à doença e que o setor administrativo somente foi vacinado quando o protocolo do Estado permitiu.

Márcio Machado confirmou que esse mesmo critério está sendo adotado com os profissionais das forças de segurança e esclareceu a polêmica em torno dos professores de Educação Física, visto que aqueles profissionais que atuam dando aulas nas escolas não foram contemplados, enquanto os professores que atuam em academia, com aulas de dança e atividades de saúde foram autorizados a tomar a vacina.

Em virtude da pandemia, foram divulgadas notícias de repasses financeiros aos municípios para enfrentamento da crise sanitária. Márcio Machado informou que Leopoldina recebeu, em 2020, um montante em torno de R$3 milhões e que sobraram cerca de R$370 mil para este ano. Ele garantiu que a atual administração não recebeu nenhum recurso proveniente do Governo Federal ou Estadual para aplicação no combate ao coronavírus.

Além da Covid-19, o surgimento de casos de Dengue em Leopoldina vem chamando a atenção dos vereadores. O Secretário de Saúde comentou que, no ano passado, os agentes de combate a endemias foram orientados a não entrar nas residências em virtude pandemia, o que prejudicou o trabalho de combate ao mosquito Aedes Aegypti.

Segundo ele, atualmente os agentes estão visitando os locais, promovendo campanhas de bota-fora e de conscientização da população, além da aplicação de fumacê. Márcio Machado confirmou que as primeiras notificações ocorreram em Tebas e que já foi solicitada a liberação de um caminhão de fumacê para promover um combate mais efetivo em toda a cidade. Ele aproveitou para elogiar o trabalho dos membros da equipe de combate a endemias, salientando que eles têm demonstrado que prezam pela saúde da população.

Em seguida, os vereadores fizeram diversos questionamentos ao Secretário de Saúde que respondeu a todos com tranquilidade e fornecendo os dados necessários para elucidação de possíveis dúvidas. Ao final, o Presidente da Câmara, vereador José Augusto Cabral, agradeceu a disposição e boa vontade do Secretário para fornecer as informações solicitadas pelos membros do Poder Legislativo.

 

error while rendering plone.comments
Transparência

Mídias Sociais

Parlamento Jovem

TV Câmara

Posto de Identificação

Pesquisar no BuscaLeg
Logotipo do BuscaLeg - Buscador Legislativo